Portais da Cidade
YKS
Xplosion games

Notícias na 25 de março

Listando: 1 à 5 de 1035
Quase 80% dos internautas brasileiros usam aplicativos de bancos

Aplicativos da Caixa e Banco do Brasil são os mais usados, segundo pesquisa da Conecta. Fintech Nubank aparece em sexto lugar, atrás apenas dos grandes bancos.



Cerca de 80% dos internautas brasileiros utilizam pelo menos um aplicativo de banco no seu smartphone, segundo uma nova pesquisa da Conecta, plataforma web do Ibope Inteligência.

Segundo o levantamento, realizado no último mês de junho com um total de 2 mil internautas, dois terços desses usuários utilizam esses apps para consultas e transações, como pagamentos e transferências.



O aplicativo da Caixa é o mais usado, tendo sido citado por 26% dos entrevistados, seguido de perto pelo Banco do Brasil, com 23%. Completam o Top 5 os apps do Itaú, com 20%, Bradesco, com 19%, e Santander, com 11%.



Nubank chegando

Chama a atenção a presença da fintech Nubank na sexta posição, com 9% das respostas dos internautas entrevistados. A empresa oferece um cartão de crédito com menos taxas e com gerenciamento todo feito por um aplicativo mobile.

(Fonte: Da Redação) - 18/07/2017
Netflix supera a marca de 100 milhões de assinantes no mundo

Com isso, a plataforma de streaming agora tem mais clientes internacionais do que nos EUA, sua terra natal.

O Netflix anunciou nesta segunda-feira, 17/7, que superou a marca de 100 milhões de assinantes pelo mundo, chegando a um total de quase 104 milhões de clientes.

Com isso, o serviço de streaming de vídeo agora conta com mais assinantes internacionais do que nos EUA, sua terra natal: 52 milhões de assinantes fora dos EUA e 51,9 milhões de assinantes nos EUA.

No total, a plataforma de Reed Hastings ganhou 5,2 milhões de novos assinantes no último trimestre, sendo que a maior parte deles, 4,1 milhões, vieram de fora dos EUA.

Esses números superaram com folga as expectativas do mercado e do próprio Netflix. Há alguns meses, a empresa afirmou que esperava ganhar 600 mil assinantes nos EUA e outros 2,6 milhões no resto do mundo no segundo trimestre deste ano.

Para o terceiro trimestre de 2017, a expectativa da companhia é registrar 750 mil novos assinantes nos EUA e outros 3,65 milhões internacionais.

Além disso, o Netflix registrou uma receita de 2,79 bilhões de dólares no trimestre, com ganhos de 15 centavos de dólar por ação.

(Fonte: Da Redação) - 18/07/2017
Rede de publicidade lança solução para engajar usuários de aplicativos

In Loco Engage utiliza geolocalização para impactar usuários com notificação push contextualizadas com as suas atividades

Engajar novos usuários é uma tarefa crucial para o sucesso e a vida longa de aplicativos. Entretanto, mesmo diante de uma maior oferta - convenhamos, hoje em dia há uma aplicação para quase todo tipo de tarefa - usuários ainda se mantém

fiéis aos mesmos, restringindo a navegação a suas ferramentas favoritas. Segundo relatório da BI Intelligence, mais de 75% dos novos usuários não retornam após a primeira semana da instalação do app.

Pensando nisso, a In Loco, rede de publicidade mobile baseada em localização indoor, desenvolveu uma solução para apoiar desenvolvedores em suas estratégias de retenção de usuários. Batizada de
In Loco Engage, o software utiliza tecnologia de geolocalização para impactar usuários com notificação push contextualizadas com as suas atividades. A ferramenta destina-se à

empresas e marcas que possuem aplicativos como peças fundamentais para os seus negócios.

A solução viabiliza a criação e a adaptação de mensagens específicas ao universo dos usuários do app. Dessa forma, um turista pronto para explorar uma nova cidade, pode receber através do aplicativo do hotel onde está hospedado sugestões

de locais dos quais ele poderia gostar de visitar próximo à região.

As notificações push geolocalizadas se diferenciam das comuns porque são contextualizadas com a atividade que o usuário está realizando no momento em que é notificado.

Segundo os criadores da ferramenta, o In Loco Engage utiliza tecnologia exclusiva baseada em sinais wi-fi, GPS e sensores inerciais do smartphone - acelerômetro, giroscópio e campo magnético. Uma combinação que, segundo a companhia,

garante o disparo de notificações push 100% contextualizadas com a rotina dos usuários.

O In Loco Engage também facilita a integração com ferramentas de automação populares como Amazon SNS e Firebase. “A integração com o In Loco Engage é muito simples para que os desenvolvedores possam focar no que realmente importa:

engajar a sua base de usuários”, explica Pedro Macêdo, Head of Product da In Loco.

Para os mais de 600 aplicativos parceiros da In Loco a solução será gratuita. “O In Loco Engage chegou para curar uma dor antiga do mercado: impactar os usuários através de uma tecnologia de geolocalização precisa e confiável”, conclui

André Ferraz, CEO e cofundador da In Loco.

(Fonte: @idgnow Da Redação) - 10/07/2017
Alto-falante inteligente aciona polícia e impede caso de violência doméstica

Caso aconteceu nos Estados Unidos na última semana. Dispositivo entendeu pergunta de agressor como comando de voz e ligou para polícia

Um alto-falante inteligente tem sido apontado como grande herói pela polícia do Novo México, Estados Unidos. Dispositivos como o Echo, da Amazon, e o Google Home, ativados por comandos de voz, têm se popularizado nos EUA e feito

manchetes seja por facilidades que proporcionam na vida cotidiana, casos excêntricos e até

mesmo sacadas de marketing.

Agora, segundo a polícia do Condado de Bernalillo, um aparelho desses foi responsável por intervir em um caso de violência doméstica.

A rede de notícias ABC News reporta que Eduardo Barros estava em casa com a namorada e a filha dela

quando começaram a discutir. O homem estava com posse de uma arma de fogo e ameaçou de morte a namorada e perguntou: "Você chamou a polícia?". O alto-falante que estava conectado a um sistema de som dentro da casa entendeu a pergunta de

Barros como um comando de voz e ligou para o serviço de emergência 911, que ouviu a briga.

Foram enviadas ao local uma equipe de negociação e outra com membros da SWAT. A mulher foi encontrada com ferimentos, porém não foi levada ao hospital. A filha da vítima se encontra bem, segundo relato da chefe de polícia Felicia Romero

à ABC News.

Para as autoridades locais, o dispositivo inteligente foi crucial para evitar consequências mais graves. "O inesperado uso dessa nova tecnologia para contactar serviços de emergência potencialmente salvou uma vida. Essa tecnologia

incrível definitivamente ajudou a salvar uma mãe e sua filha de uma situação muito violenta", disse Manuel Gonzales, policial à ABC News.

Barros foi preso e agora enfrenta penas por agressão doméstica e pelo uso de arma de fogo como forma de intimidação.


(Fonte: @idgnow Da Redação) - 10/07/2017
Como o Google pretende eliminar, de vez, o seu telefone

Todo smartphone tem uma parte telefone e outra computador. O Google trabalha para eliminar a primeira e substitui-la por algo muito melhor

O Google está trabalhando duro para tornar os telefones obsoletos. Mas a empresa não admitiria isso. E eles não querem que eu diga isso. Eles ainda têm que fazer certo com as operadoras de telefonia móvel que dão suporte e vendem

aparelhos Android.

Ao se livrar do telefone como o conhecemos, o Google está no lado direito da história e também do lado da sua empresa. Isso por que o mundo do pós-telefone é um mundo com comunicação de voz de melhor qualidade, melhores serviços de

segurança e telefonia que funcionam melhor do que os aplicativos de comunicação de hoje.

Mas o que é um smartphone, afinal?

Todo mundo está falando sobre o 10º aniversário do iPhone, lançado no dia 29 de junho de 2007. E essa parece ser uma boa data, assim como qualquer outra, para dissecar o que um smartphone realmente é.

Quando Steve Jobs apresentou o iPhone no palco, ele disse que se tratava de três produtos revolucionários: um iPod, um telefone celular e um dispositivo de comunicação de internet.

A descrição do iPhone por Jobs é compreensível apenas se você lembrar que no momento a Apple não havia ainda mencionado a chegada da App Store.

Agora vemos smartphones com clareza. O "iPod" e "o comunicador via internet" que Jobs descreveu são apenas aplicativos. Atualmente, há milhares deles na App Store que reproduzem música e permitem comunicações pela internet e, bem, que

fazem todos os tipos de coisas.

Um smartphone, então, não se resume a essas três coisas. Ele é, na verdade, duas: um "telefone" e um "computador". A parte "telefone" usa as redes de voz das operadoras de dispositivos móveis para lidar com chamadas e mensagens de texto.

A parte "computador" possui um sistema operacional, aplicativos e a capacidade de se conectar à internet através de uma rede de dados de banda larga móvel ou via Wi-Fi.

Assim como a parte "computador" dos smartphones consumiu a câmera digital, o reprodutor de mídia, o rádio, o leitor de ebooks, a calculadora, o gravador de voz, o scanner, o GPS, a bússola, a lanterna, os videogames, o despertador, o

temporizador, a agenda e as dezenas de outras coisas, ele também devorará a parte "telefone" do seu aparelho de bolso.

A supremacia da faceta "computador" sobre a parte "telefone" é mais facilmente vista no mundo dos aplicativos de mensagens, que são, na maioria dos aspectos, muito melhores do que a tradicional função para mensagens de texto. E, em

qualquer caso, as mensagens SMS e MMS agora viajam facilmente por Wi-Fi e não precisam mais da rede de voz.

A única justificativa restante para a continuidade da parte telefone de um smartphone é que a rede de voz, geralmente, é mais confiável e de maior qualidade do que as opções baseadas na internet.

Mas é apenas uma questão de tempo antes que as chamadas baseadas na Internet sejam melhores do que as de rede de voz. E o Google está tentando acelerar esse processo.

O Project Fi é a entrada do Google para o mundo pós-telefone

O Google anunciou na última semana a compatibilidade do G Suite com o Project Fi
, sua rede wireless lançada nos EUA por meio de uma parceria com as operadoras locais.

Embora ótimo para pequenas empresas ou pequenos departamentos, o serviço não está pronto ainda para corporações. O plano é limitado a seis usuários. Mas isso indica um provável apoio futuro em escala empresarial para o Fi no G Suite.

Mais sobre isso abaixo.

O Project Fi é o operador de rede virtual móvel (MVNO) do Google. Ele representa uma ideia revolucionária: telefones que alternam automaticamente chamadas de voz e conexões de dados entre diferentes operadoras, e entre redes de voz e

VoIP em Wi-Fi. Ele faz isso usando uma estrutura de antena construída especificamente e um cartão SIM personalizado, além de software especial. Esse hardware especial é o motivo pelo qual você pode usar o Google Fi apenas nos telefones

Nexus 6, Nexus 5X, Nexus 6P, Pixel e Pixel XL, embora essa programação esteja prestes a mudar.

A conta do Project Fi no Twitter prometeu um "novo dispositivo compatível com o Fi a um preço intermediário de um dos nossos parceiros no final deste ano". O Google não vende mais o Nexus 6 e pretende eliminar o suporte para o Nexus 6P e

5X no próximo ano.

Quando o Google Fi foi lançado há dois anos, ele ganhou uma reputação por oferecer preços flexíveis e baixos (US$ 10 por GB) e roaming internacional fácil e barato (via operadora T-Mobile nos Estados Unidos).

O Fi permitiu aos usuários "pausar" e "retomar" o serviço e o pagamento. Os usuários gostam do poder e flexibilidade de suas várias operadoras e um suporte Wi-Fi transparente. Como bônus, as chamadas Wi-Fi são encaminhadas

automaticamente através de uma rede virtual privada (VPN) segura.

No entanto, desde então o mundo mudou. Hoje em dia, todas as operadoras oferecem planos ilimitados e de baixo custo, de modo que os consumidores estão "prejudicando" o Project Fi.

O lançamento do Project Fi pelo Google levantou a pergunta óbvia: por que o Google gostaria de ser uma operadora? Afinal, o Google é essencialmente uma companhia de internet, não um sistema do telefone.

A resposta é clara: a missão da gigante de tecnologia é transmitir a comunicação para um mundo pós-telefone.

O Google oferece um cartão SIM Project Fi gratuitamente, desde que você seja um cliente Fi. Isso significa que você pode encomendar mais cartões SIM (até nove cartões grátis) e colocá-los em seu laptop, iPad, iPhone ou qualquer

dispositivo e usá-lo apenas para dados, com o custo cobrado na conta principal. Esses dispositivos integram, por definição, o mundo pós-telefone, porque com os dados gratuitos do Fi, eles só podem fazer chamadas e enviar textos pela

Internet; Não há acesso ao sistema de telefone celular.

O projeto SIM adicional permite que o Google veja como os clientes usam telefones e tablets sem acesso a uma rede de voz móvel.

Parte da missão do Google é a transição de telefones celulares, saindo do SMS e MMS, para entregar Rich Communication Services, ou RCS. (O chefe de comunicações do Google, Nick Fox, disse no mês passado que o Google está trabalhando para

levar o RCS ao Projeto Fi.)

A segunda parte é aquela que dará assistência a esse mundo pós-telefone, começando pelo Voice over Long-Term Evolution (VoLTE).

Essas transições podem ser inevitáveis, mesmo sem o envolvimento do Google. Mas elas também podem não ser.

Tudo sobre a telefonia é complicado. O Project Fi permite que o Google tente testar e experimentar, facilitando os usuários do Fi com delicadeza e devagar através da transição de toque e retorno para um mundo que não usa as redes de voz

móveis.

E o maior evento na transição pós-telefone é o VoLTE.

Em janeiro, alguns usuários do Project Fi perceberam que suas chamadas estavam sendo tratadas pelo VoLTE. Então, em fevereiro, o Google anunciou silenciosamente que tinha começado a testar o VoLTE "com um subconjunto de usuários do

Project Fi".

O VoLTE é uma abordagem altamente otimizada e de melhor desempenho do que o VoIP é em relação ao LTE. E, para esse assunto, oferece chamadas de melhor qualidade do que as chamadas de rede de voz de hoje.

Outra enorme vantagem é que o VoLTE permite transmissão de vídeo, transferência de arquivos e outros recursos diretamente do discador nativo de um telefone. O VoLTE também é a solução para a divisão atual entre as operadoras dos EUA

entre as redes CDMA e GSM.

Com o Project Fi, o Google pode ajustar e experimentar para descobrir a melhor maneira de obter gradualmente mais usuários fazendo e recebendo chamadas via Wi-Fi e VoLTE e menos através das redes de voz sem fio.

O Futuro de Fi é a telefonia IP para empresas

Dentro de dois anos, acredito que o Project Fi estará disponível para empresas de todos os tamanhos, incluindo empresas, como parte essencial do G Suite.

Ele dará aos clientes uma alternativa de telefonia, incluindo chamadas VoLTE de alta qualidade provisionadas por várias operadoras; chamadas baseadas em Wi-Fi - e a capacidade de alternar entre eles; E RCS, planos de dados ilimitados,

roaming global e muito mais.

Eventualmente, aos telefones Project Fi faltará apenas uma coisa - a capacidade de se conectar a uma rede de voz móvel.

Os smartphones não serão "telefones" e "computadores". Eles serão apenas "computadores". E toda a comunicação entre eles viajará pela internet.

As implicações são vastas: melhor qualidade, segurança e programabilidade para todas as comunicações empresariais.

Sim, o Google está aí para eliminar o seu telefone - e substituí-lo por algo muito melhor.



Listando: 5 de 1035

Anuncie

Sobre o Portal da 25

O Portal da 25 foi lançado em 01 de maio de 2001, tendo como objetivo principal a divulgação de empresas e produtos comercializados na região da rua 25 de março no centro da cidade de São Paulo, focando-se principalmente em produtos voltados para área pessoal e doméstica.